Artigos

Os Tratados dos Carolíngios

Os Tratados dos Carolíngios


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Os Tratados dos Carolíngios

Por Francois L. Ganshof

Medieval and Renaissance Studies, Proceedings of the Southeastern Institute of Medieval and Renaissance Studies, Vol. 3 (1967)

Introdução: pretendo investigar como os carolíngios conseguiram concluir seus tratados. Comecemos primeiro com uma definição. Acho que podemos dar à palavra tratado a seguinte: um acordo entre estados, povos, tribos ou governantes.

Os tratados sobre os quais estaremos preocupados foram concluídos pelos governantes do Regnum Francorum, pertencentes à dinastia carolíngia, entre 751 e 887. Eram muito numerosos. Para estudá-los, temos apenas poucas fontes imediatas à nossa disposição: alguns textos completos e alguns fragmentos de acordos concluídos entre governantes carolíngios, após a morte de Luís, o Piedoso, em 840, quando a unidade da monarquia franca havia deixado de existir. Com a exceção desses documentos, só podemos recorrer a fontes narrativas, especialmente os chamados Anais Reais, aos Anais de Saint-Bertin, aos Anais de Fulda, aos Anais de Xanten, aos Anais de Saint-Vaast, e alos, em menor grau, o Vita Karoli de Einhard e as biografias de Louis the Pious por Thegan e pelo chamado ‘Astrônomo’, bem como o Historiae de Nithard. As informações que podem ser obtidas a partir dessas narrativas são ocasionalmente imprecisas e muitas vezes inexplicáveis.


Assista o vídeo: Una Breve Biografia de Carlomagno - Biografía En Español (Julho 2022).


Comentários:

  1. Pete

    Você está cometendo um erro. Eu posso provar. Mande-me um e-mail para PM, vamos conversar.

  2. Kye

    Parabenizo, aliás, esse pensamento ocorre



Escreve uma mensagem