Artigos

Mapa da batalha de Fredericksburg, metade inferior

Mapa da batalha de Fredericksburg, metade inferior


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Mapa da batalha de Fredericksburg, metade inferior

Mapa da batalha de Fredericksburg, metade inferior

Metade Superior - Mapa Completo - Metade Inferior

Mapa retirado de Batalhas e líderes da Guerra Civil: III: Retiro de Gettysburg, p.74

Retorne à batalha de Fredericksburg



Jackson Holds Prospect Hill

Você está à direita do exército confederado, mantido pelo corpo de Thomas J. "Stonewall" Jackson em 13 de dezembro de 1862. Seus 35.000 soldados espalhados ao longo de uma milha de frente - alguns na floresta, alguns em campos, alguns em ridgetops, alguns em fundos pantanosos. Em frente ficava a ferrovia Richmond, Fredericksburg e Potomac. Algumas das tropas de Jackson usaram o aterro da ferrovia como uma terraplenagem pronta.

Ao amanhecer de 13 de dezembro, a névoa obscureceu as manobras do exército da União na planície além da ferrovia, ocultando o fato de que Jackson seria o alvo dos primeiros grandes ataques da União naquele dia. Quando, no meio da manhã, o nevoeiro aumentou, um oficial do estado-maior comentou melancolicamente sobre a força do exército da União se formando na planície. Jackson respondeu asperamente: "Major, meus homens às vezes não conseguiram tomar uma posição, mas para defender uma, nunca! Estou feliz que os ianques estejam chegando."

Eu podia ver metade de todo o exército ianque, com reservas e tudo. Foi um grande espetáculo vê-los se posicionando esta manhã, mas parecia que o anfitrião iria nos devorar.
Um artilheiro confederado

Erguido em 2009 pelo National Park Service, Departamento do Interior dos EUA.

Tópicos Este marcador histórico está listado nesta lista de tópicos: Guerra, Civil dos EUA. Um mês histórico significativo para esta entrada é dezembro de 1898.

N, 77 & deg 26.132 & # 8242 W. Marker está perto de Artillery Ridge, Virginia, no condado de Spotsylvania. O marcador está na Lee Drive, à esquerda ao viajar para o leste. O marcador está no final da Lee Drive, no Parque Militar Nacional de Fredericksburg. Toque para ver o mapa. O marcador está neste endereço postal ou próximo a este: 6 Lee Dr, Fredericksburg VA 22408, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 8 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. Campanha de Fredericksburg (aqui, ao lado deste marcador) um marcador diferente também chamado Campanha de Fredericksburg (aqui, ao lado deste marcador) Dead Horse Hill (aqui, ao lado deste marcador) Jackson (aqui, ao lado deste marcador) Cruzamento de Hamilton (dentro de gritar distância deste marcador) um marcador diferente também denominado Cruzamento de Hamilton (a uma distância enorme deste marcador) Um Memorial do Sul (aproximadamente 0,2 milhas de distância) A Pirâmide de Meade (aproximadamente 0,2 milhas de distância). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores em Artillery Ridge.

Mais sobre este marcador. O fundo do marcador é um desenho dos confederados em posição. Os homens de Jackson aguardam a batalha ao longo da ferrovia à sua frente. Enquanto alguns deles usaram o aterro da ferrovia como cobertura, outros se esconderam na floresta pesada de Prospect Hill, atrás de você. No canto inferior esquerdo está um mapa representando o avanço federal e a defesa confederada.

Veja também . . .
1. Prospect Hill. Página NPS discutindo a posição. (Enviado em 24 de agosto de 2009, por Craig Swain de Leesburg, Virginia.)

2. Stonewall Jackson e a defesa de Prospect Hill. (Enviado em 24 de agosto de 2009, por Craig Swain de Leesburg, Virginia.)


Campanha terrestre de Ulysses S. Grant: Seis semanas sangrentas

Enquanto a Guerra Civil se arrastava para o seu quarto ano em março de 1864, Abraham Lincoln preparou-se para colocar sua fé & # x2014e as perspectivas do ano eleitoral & # x2014 nas mãos de outro comandante militar. Repetidamente frustrado por generais como George McClellan e George Meade, que não conseguiram perseguir Robert E. Lee e o Exército da Virgínia do Norte, o presidente finalmente acreditou que havia encontrado o homem certo para lutar contra o inimigo em Ulysses S. Grant , o herói do Ocidente que conquistou Fort Donelson, Vicksburg e Chattanooga. & # xA0

Lincoln há muito admirava a agressão de Grant & # x2019s e resistiu aos apelos para sua expulsão após um mau desempenho na Batalha de Shiloh de 1862, disparando de volta, & # x201CI não pode poupar este homem. Ele luta. ” .

O comandante recém-nomeado imediatamente começou a planejar uma ofensiva massiva para capturar o exército de Lee e tomar a capital confederada de Richmond, Virgínia. Grant & # x2019s Overland Campaign convocou um ataque em três frentes na Virgínia para manter as forças de Lee & # x2019s engajadas enquanto as forças do General William T. Sherman e # x2019s varreram o sul em direção a Atlanta. Grant sabia que tinha a vantagem numérica em força de tropa e não tinha medo de sofrer muitas baixas no curto prazo na esperança de que isso salvasse vidas a longo prazo, acelerando o fim da guerra.

Enquanto Meade & # x2019s Exército de Potomac desmontava seu acampamento de inverno 160 milhas ao norte de Richmond, Grant ordenou ao general: & # x201C Aonde quer que Lee vá, você também irá. & # X201D E Grant também, que acompanhou pessoalmente a força de 115.000 homens enquanto cruzava o rio Rapidan na Virgínia na madrugada de 4 de maio de 1864 para iniciar a campanha Overland. Com o exército da União quase duas vezes maior que o seu, Lee sabia que sua melhor chance de anular a vantagem numérica do Norte & # x2019 era confrontar seu oponente na floresta emaranhada a oeste de Fredericksburg.

Na manhã de 5 de maio, o Quinto Corpo da União encontrou tropas confederadas na Orange Turnpike, e a Batalha do Deserto começou para valer. A floresta trovejou com tiros e os homens caíram como folhas da floresta no chão. A vegetação rasteira espessa neutralizou a cavalaria da União e tornou impossível para as unidades se moverem de forma ordenada. Os soldados atiraram às cegas contra a folhagem que florescia e a fumaça sufocante, em alguns casos atirando em seus próprios homens. O fogo de artilharia e de pequenas armas acendeu a isca seca, o que resultou em um inferno que assou centenas de soldados feridos que não conseguiram escapar da floresta de chamas.

& # x201Era como se os homens cristãos tivessem se transformado em demônios e o próprio inferno usurpasse o lugar da terra, & # x201D o tenente-coronel da União Horace Porter escreveu sobre a carnificina. Mais de 18.000 soldados da União foram mortos ou feridos. A carnificina fez Grant soluçar sozinho em sua tenda, mas não impediu sua decisão. & # x201Se você vir o presidente, & # x201D o tenente-general disse a um repórter durante a batalha, & # x201Diga por mim que aconteça o que acontecer, não haverá como voltar atrás. & # x201D

A Batalha do Deserto na Virgínia em & # xA05 de maio de 1864.

A Batalha do Deserto de dois dias terminou com um empate tático. O Exército do Potomac esperava que Grant ordenaria sua retirada, como seus antecessores haviam feito repetidamente quando repelidos por Lee. Grant não era como os outros generais, no entanto. Ele disse-lhes que prosseguissem em direção a Richmond. Lee, no entanto, sabia que Grant também era diferente de seus colegas anteriores e antecipou seu próximo movimento, então, quando os soldados da União chegaram à cidade de Spotsylvania Court House, na encruzilhada, na manhã de 8 de maio, os rebeldes já estavam esperando.

Com meras horas de intervalo, a Batalha do Deserto sangrou direto na Batalha de Spotsylvania Court House. Os confederados se enterraram em um sistema de entrincheiramentos em forma de U invertido, e o impasse feroz atingiu o clímax na madrugada de 12 de maio, quando Grant comandou 20.000 homens sob Winfield Scott Hancock para perfurar a linha de batalha curva dos rebeldes. Por 20 horas sob uma forte tempestade, tiroteios e combates corpo a corpo ocorreram em & # x201CBloody Angle. & # X201D & # x201CRank após rank foi crivado de tiros e granadas e golpes de baioneta e, finalmente, afundou, uma massa de cadáveres mutilados, & # x201D Porter escreveu. Os mortos estavam empilhados em quatro camadas, e sob alguns cadáveres estavam os corpos se contorcendo de alguns dos feridos, ainda vivos.

A batalha prolongada continuou por quase duas semanas enquanto as forças atacavam e contra-atacavam. Quando Grant se convenceu de que não seria capaz de desalojar os rebeldes, ele desligou seu exército em 21 de maio e, ainda confiante de que poderia vencer uma guerra de desgaste mesmo depois de perder outros 18.000 homens em Spotsylvania, ordenou que marchassem para o sudeste em direção a Richmond . Depois que os exércitos de Grant e Lee se enfrentaram novamente em North Anna e Totopotomoy Creek, eles se enfrentaram em Cold Harbor, 10 milhas a nordeste de Richmond. A decisão de Grant de ordenar um ataque maciço em 3 de junho resultou na morte e ferimento de até 7.000 soldados da União em menos de uma hora, e a vitória dos confederados na Batalha de Cold Harbor seria uma das mais desequilibradas da guerra noivados.

Em 12 de junho, as forças de Grant & # x2019s cruzaram o rio James para Petersburgo, onde se seguiu um cerco de nove meses. A Campanha Overland de seis semanas havia terminado, deixando para trás perdas entorpecentes: os mortos, desaparecidos e feridos totalizaram 55.000 para a União e 33.000 para a Confederação. De acordo com o Civil War Trust, Spotsylvania Court House (30.000 baixas combinadas) e Wilderness (29.8000 baixas combinadas) foram as terceira e quarta batalhas mais sangrentas da Guerra Civil, perdendo apenas para Gettysburg e Chickamauga.

Durante a carnificina, Lincoln nunca perdeu a fé em seu novo comandante. Quando as forças da União se instalaram em Petersburgo, Grant recebeu um telegrama do comandante-chefe: & # xA0 & # x201CI começaram a ver. Você vai conseguir. Deus abençoe todos vocês. A. LINCOLN. & # X201D


Mapa da batalha de metade inferior de Fredericksburg - História

Leitura recomendada: Guia para as Batalhas de Chancellorsville e Fredericksburg. Descrição: As batalhas de Fredericksburg e Chancellorsville, 1862-63, foram notáveis ​​em vários aspectos. Ambos revelaram os problemas de montar um ataque sério à noite e forneceram os primeiros exemplos da agora conhecida guerra de trincheiras. Fredericksburg apresentou combates de rua e travessias de rios sob fogo. Chancellorsville foi marcada pela morte de Stonewall Jackson e o raro exemplo de cavalaria montada atacando a infantaria. Além disso, a última batalha também demonstrou de forma notável a profunda influência do comandante na batalha. A União comprometeu mais soldados, suprimentos, dinheiro e melhor equipamento do que a Confederação, e mesmo assim Lee venceu. Continua abaixo.

Depoimentos de testemunhas oculares de participantes de batalha tornam esses guias um recurso inestimável para viajantes e não viajantes que desejam uma maior compreensão de cinco dos anos mais devastadores, porém influentes, na história de nossa nação. Instruções explícitas para pontos de interesse e mapas - ilustrando a ação e mostrando os detalhes da posição das tropas, estradas, rios, elevações e linhas de árvores como eram há 130 anos - ajudam a dar vida às batalhas. No campo, esses guias podem ser usados ​​para recriar o cenário e as proporções de cada batalha, dando ao leitor uma noção da tensão e do medo que cada soldado deve ter sentido ao enfrentar seu inimigo.

Leitura recomendada: Chancellorsville, de Stephen W. Sears. Descrição: Chancellorsville foi uma das principais campanhas da Guerra Civil, uma grande vitória do Sul que também levou diretamente à morte do principal general confederado Stonewall Jackson. Não gerou a quantidade de literatura dedicada à maioria das principais batalhas da Guerra Civil, em grande parte porque o clássico de John Bigelow de 1910, The Campaign of Chancellorsville, pareceu durante anos oferecer a última palavra. Mas a Sears, empregando uma mistura de relatos primários publicados e não publicados para apoiar os estudos secundários, consegue oferecer mais de uma palavra nova em um texto totalmente envolvente. Continua abaixo.

O mais notável é o uso de relatórios de inteligência militar da União para mostrar como o General Joseph Hooker foi alimentado com um fluxo de informações precisas sobre as tropas de Robert E. Lee. Por outro lado, Sears aponta as falhas de comunicação no campo de batalha que atrapalharam o exército da União em momentos críticos. Ele também examina os papéis de Hooker e seus comandantes de corpo, descobrindo que metade do último serviu mal seu comandante durante a campanha. Em relação ao comando confederado, Sears analisa a inteligência defeituosa de Lee e seu relacionamento com seus subordinados. Ao longo, ele destaca a maravilhosa boa sorte de Lee, bem como a tenaz capacidade de luta de seu exército. Um dos três apêndices do livro explora vários dos "romances" da batalha, por exemplo, o ferimento de Jackson, as histórias falsas de Alfred Pleasonton, enquanto dois outros apêndices apresentam ordens de batalha e baixas. Um modelo de estudo de campanha, o relato de Sears sobre Chancellorsville provavelmente permanecerá o padrão nos próximos anos & # 8230. Também inclui vários mapas e fotos não publicados anteriormente.

Leitura recomendada: Chancellorsville 1863: The Souls of the Brave. Descrição: O livro de Ferguson sobre Chancellorsville se parece muito com um antigo livro de Stephen Sears. Detalhes meticulosos são criados com contas primárias e combinados com a análise do autor, e o livro tem uma narrativa detalhada com elementos humanos. Ler esses tipos de relatos sobre as batalhas da Guerra Civil é sempre agradável. Onde o livro de Furgurson difere do livro de Sears é, naturalmente, a análise da gestão de Joe Hooker da campanha. Continua abaixo.

Enquanto Sears culpa os subordinados, mais notavelmente Howard, e aponta para a concussão de Hooker, Furgurson menciona o incidente do pilar explodindo, adiciona relatos de soldados de ver Hooker parecendo bêbado e indiferente no quartel-general e questiona Hooker. Dadas as ordens de comemoração da pré-vitória de Hooker e sua subsequente derrota, acho difícil deixar Hooker completamente fora de perigo. Furgurson também menciona perto do final do livro que a morte de Jackson afetou Gettysburg e, finalmente, a guerra. Se Jackson tivesse vivido e tomado Culp's Hill em 1º de julho no lugar do inativo Ewell, a União teria sido forçada a recuar, provavelmente para a linha de defesa em torno de Pipe Creek que Meade estava almejando em primeiro lugar. Os confederados teriam vencido a batalha de Gettysburg nesse caso?

Leitura recomendada: Chancellorsville: The Battle and Its Aftermath (Campanhas Militares da Guerra Civil). Descrição: uma variedade de dimensões importantes, mas menos conhecidas, da campanha de Chancellorsville da primavera de 1863 são exploradas nesta coleção de oito ensaios originais. Partindo do foco tradicional em generalidade e táticas, os colaboradores abordam o amplo contexto e as implicações da campanha e revisitam episódios específicos do campo de batalha que foram mal compreendidos no passado. Chancellorsville foi uma vitória notável para as tropas de Robert E. Lee, um fato de enorme importância psicológica para ambos os lados, que se reuniram recentemente em Fredericksburg e voltariam a se encontrar em Gettysburg em apenas dois meses. Mas a conquista, embora impressionante, teve um custo enorme: mais de 13.000 confederados foram vítimas, incluindo Stonewall Jackson, que foi ferido por fogo amigo e morreu vários dias depois. Continua abaixo.

Os tópicos abordados neste volume incluem a influência da política no exército da União, a importância da coragem entre os oficiais, o impacto da guerra nas crianças e o estado dos cuidados médicos no campo de batalha. Outros ensaios iluminam o papel importante, mas esquecido, do comandante confederado Jubal Early, reavaliam o profissionalismo da cavalaria da União, investigam o incidente de fogo amigo que tirou a vida de Stonewall Jackson e analisam o histórico militar e político da corte marcial do coronel confederado Emory Best em acusações de abandonar seus homens. Colaboradores: Keith S. Bohannon, Pennsylvania State University Gary W. Gallagher, Pennsylvania State University A. Wilson Greene, Petersburg, Virginia John J. Hennessy, Fredericksburg, Virginia Robert K. Krick, Fredericksburg, Virginia James Marten, Marquette University Carol Reardon, Universidade Estadual da Pensilvânia James I. Robertson, Jr., Instituto Politécnico da Virgínia e Universidade Estadual.

Leitura recomendada: Chancellorsville: Lee's Greatest Battle (416 páginas) (brochura). Descrição: publicado originalmente em 1958, este clássico Stackpole mantém seu apelo popular e fácil leitura. Agora atualizado com comentários e notas de D. Scott Hartwig, será de interesse especial para os fãs e historiadores da Guerra Civil. Mapas e ilustrações excepcionais.

Leitura recomendada: Chancellorsville 1863: Jackson's Lightning Strike (Campaign). Descrição: Após o desastre da batalha de Fredericksburg em dezembro de 1862, Burnside foi substituído como comandante do Exército do Potomac pelo General Joseph Hooker. Tendo reorganizado o exército e melhorado o moral, ele planejou um ataque que levaria seu exército a Richmond e encerraria a guerra. Embora enfrentando um exército com o dobro do seu tamanho, o comandante confederado Robert E. Lee dividiu suas forças: Jubal Early foi deixado para conter o ataque de Sedgwick a Fredericksburg, e 'Stonewall' Jackson foi enviado com 26.000 homens em um amplo envelope ao redor do flanco direito de Hooker. Continua abaixo & # 8230

Este título detalha como ao anoitecer de 2 de maio, os homens de Jackson colidiram com o flanco direito federal, e como a resistência federal mais rígida desacelerou o avanço dos confederados no dia seguinte. Do editor: guias altamente visuais para os maiores conflitos da história, detalhando as estratégias de comando, táticas e experiências das forças opostas ao longo de cada campanha e concluindo com um guia para os campos de batalha hoje.


Conteúdo

Situação militar Editar

Em novembro de 1862, o presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, precisava demonstrar o sucesso do esforço de guerra da União antes que o público do norte perdesse a confiança em sua administração. Os exércitos confederados estiveram em movimento no início do outono, invadindo Kentucky e Maryland. Embora cada um deles tenha retrocedido, esses exércitos permaneceram intactos e capazes de novas ações. Lincoln instou o major-general Ulysses S. Grant a avançar contra a fortaleza confederada de Vicksburg, Mississippi. Ele substituiu o major-general Don Carlos Buell pelo major-general William S. Rosecrans, na esperança de uma postura mais agressiva contra os confederados no Tennessee, e em 5 de novembro, visto que sua substituição de Buell não havia estimulado o major-general George B. McClellan em ação, ele emitiu ordens para substituir McClellan no comando do Exército do Potomac na Virgínia. McClellan parou as forças do general Robert E. Lee na Batalha de Antietam em Maryland, mas não foi capaz de destruir o exército de Lee, nem perseguiu Lee de volta à Virgínia de forma agressiva o suficiente para Lincoln. [13]

O substituto de McClellan foi o major-general Ambrose E. Burnside, comandante do IX Corpo. Burnside havia estabelecido uma reputação de comandante independente, com operações bem-sucedidas no início daquele ano na costa da Carolina do Norte e, ao contrário de McClellan, não tinha ambições políticas aparentes. No entanto, ele se sentiu desqualificado para o comando no nível do exército e objetou quando lhe foi oferecido o cargo. Ele aceitou apenas quando ficou claro para ele que McClellan seria substituído em qualquer caso e que uma escolha alternativa para o comando era o major-general Joseph Hooker, de quem Burnside não gostava e não confiava. Burnside assumiu o comando em 7 de novembro. [14]

Plano de Burnside Editar

Em resposta à insistência de Lincoln e do general-chefe general Henry W. Halleck, Burnside planejou uma ofensiva no final do outono e comunicou seu plano a Halleck em 9 de novembro. O plano dependia de movimentos rápidos e engano. Ele concentraria seu exército de maneira visível perto de Warrenton, fingindo um movimento em Culpeper Court House, Orange Court House ou Gordonsville. Ele então mudaria rapidamente seu exército para sudeste e cruzaria o rio Rappahannock para Fredericksburg, na esperança de que Lee não se movesse, incerto quanto às intenções de Burnside, enquanto o Exército da União fazia um movimento rápido contra Richmond, ao sul ao longo da Ferrovia Richmond, Fredericksburg e Potomac ( RF & ampP) de Fredericksburg. Burnside selecionou este plano porque estava preocupado com o fato de que se ele se mudasse diretamente para o sul de Warrenton, ele seria exposto a um ataque de flanco do Tenente-General Thomas J. "Stonewall" Jackson, cujo corpo estava naquela época no Vale do Shenandoah ao sul de Winchester. Ele também acreditava que a Orange and Alexandria Railroad (O & ampA) seria uma linha de abastecimento inadequada. (Burnside também foi influenciado pelos planos que McClellan começou a desenvolver pouco antes de ser substituído. Ciente de que Lee havia bloqueado o O & ampA, McClellan considerou uma rota através de Fredericksburg e ordenou que um pequeno grupo de cavaleiros comandados pelo capitão Ulric Dahlgren investigasse a condição do RF & ampP. ) Enquanto Burnside começava a montar uma base de abastecimento em Falmouth, perto de Fredericksburg, a administração de Lincoln empreendeu um longo debate sobre a sabedoria de seu plano, que diferia da preferência do presidente de um movimento para o sul na O & ampA e um confronto direto com o exército de Lee em vez de o movimento se concentrou na cidade de Richmond. Lincoln relutantemente aprovou o plano em 14 de novembro, mas advertiu seu general para se mover com grande velocidade, certamente duvidando que Lee reagisse como Burnside antecipou. [15]

Movimento para a batalha Editar

O Exército da União começou a marchar em 15 de novembro, e os primeiros elementos chegaram a Falmouth em 17 de novembro. O plano de Burnside deu errado rapidamente - ele ordenou que pontes flutuantes fossem enviadas para a frente e montadas para sua rápida travessia do Rappahannock, mas por causa de falha administrativa, as pontes não chegaram a tempo. Burnside requisitou pela primeira vez a ponte do pontão (junto com muitas outras provisões) em 7 de novembro, quando ele detalhou seu plano para Halleck. O plano foi enviado à atenção do Brig. General George Washington Cullum, chefe de gabinete em Washington (recebido em 9 de novembro). Os planos previam o movimento fluvial e terrestre dos trens do pontão para Falmouth. Em 14 de novembro, o 50th New York Engineers relatou que os pontões estavam prontos para se mover, exceto pela falta dos 270 cavalos necessários para movê-los. Sem o conhecimento de Burnside, a maior parte da ponte ainda estava no alto Potomac. As comunicações entre o engenheiro da equipe de Burnside Cyrus B. Comstock e o comandante da Engineer Brigade Daniel P. Woodbury indicam que Burnside presumiu que a ponte estava a caminho de Washington com base nas ordens dadas em 6 de novembro. [16]

Quando o major-general Edwin V. Sumner chegou, ele pediu veementemente uma travessia imediata do rio para dispersar a força confederada simbólica de 500 homens na cidade e ocupando as alturas de comando a oeste. Burnside ficou ansioso, temendo que as crescentes chuvas de outono tornassem os pontos de travessia inutilizáveis ​​e que Sumner pudesse ser isolado e destruído, ordenando que Sumner esperasse em Falmouth. [17]

Lee a princípio antecipou que Burnside o venceria no Rappahannock e que, para proteger Richmond, ele assumiria a próxima posição defensável ao sul, o North Anna River. Mas quando viu como Burnside estava se movendo lentamente (e o presidente confederado Jefferson Davis expressou reservas sobre o planejamento de uma batalha tão perto de Richmond), ele dirigiu todo o seu exército em direção a Fredericksburg. Em 23 de novembro, o corpo comandado pelo tenente-general James Longstreet chegou e Lee os colocou no cume conhecido como Marye's Heights a oeste da cidade, com a divisão de Anderson na extrema esquerda, McLaws diretamente atrás da cidade, e Pickett e Hood está à direita. Ele mandou chamar Jackson em 26 de novembro, mas seu comandante do Segundo Corpo havia previsto a necessidade e começou a forçar a marcha de suas tropas de Winchester em 22 de novembro, cobrindo até 20 milhas por dia. Jackson chegou à sede de Lee em 29 de novembro e suas divisões foram implantadas para evitar que Burnside cruzasse rio abaixo de Fredericksburg: a divisão de DH Hill mudou-se para Port Royal, a 18 milhas rio abaixo, a 12 milhas rio abaixo em Skinker's Neck AP Hill na casa de Thomas Yerby, "Belvoir ", cerca de 6 milhas a sudeste da cidade e Taliaferro ao longo da ferrovia RF & ampP, 4 ​​milhas ao sul na estação da Guiné. [18]

Os barcos e equipamentos para uma única ponte flutuante chegaram a Falmouth em 25 de novembro, tarde demais para permitir que o Exército do Potomac cruzasse o rio sem oposição. Burnside ainda teve uma oportunidade, entretanto, porque àquela altura ele estava enfrentando apenas metade do exército de Lee, ainda não entrincheirado, e se ele agisse rapidamente, ele poderia ter sido capaz de atacar Longstreet e derrotá-lo antes que Jackson chegasse. Mais uma vez, ele desperdiçou sua oportunidade. O conjunto completo de pontes chegou no final do mês, mas a essa altura Jackson estava presente e Longstreet estava preparando fortes defesas. [19]

Burnside planejou originalmente cruzar seu exército a leste de Fredericksburg em Skinker's Neck, mas um movimento avançado de canhoneiras federais para lá foi disparado e atraiu as divisões de Early e D.H. Hill para essa área, um movimento observado por observadores de balões da União. Agora, supondo que Lee havia antecipado seu plano, Burnside adivinhou que os confederados haviam enfraquecido sua esquerda e centro para se concentrarem contra ele à direita. Então ele decidiu cruzar diretamente em Fredericksburg. Em 9 de dezembro, ele escreveu a Halleck: "Acho que agora o inimigo ficará mais surpreso com uma travessia imediatamente em nossa frente do que qualquer outra parte do rio. Estou convencido de que uma grande força do inimigo está agora concentrada em Port Royal, sua esquerda descansando em Fredericksburg, que esperamos virar. " Além de sua vantagem numérica na força das tropas, Burnside também tinha a vantagem de saber que seu exército não poderia ser atacado de forma eficaz. Do outro lado de Rappahannock, 220 peças de artilharia foram localizadas no cume conhecido como Stafford Heights para evitar que o exército de Lee montasse qualquer contra-ataque importante. [20]

Edição de União

Burnside organizou seu Exército do Potomac em três assim chamados Grandes Divisões, organizações que incluíam corpo de infantaria, cavalaria e artilharia, compreendendo 120.000 homens, dos quais 114.000 estariam envolvidos na batalha que se aproximava: [4] [6]

  • o Grande Divisão Direita, comandado pelo Maj. Gen. Edwin V. "Bull" Sumner, consistia do II Corpo de Maj. Gen. Darius N. Couch (divisões do Maj. Gens.Winfield S. Hancock, Oliver O. Howard e William H. Francês) e o IX Corpo de Brig. Gen. Orlando B. Willcox (divisões do Brig. Gens. William W. Burns, Samuel D. Sturgis e George W. Getty). Uma divisão de cavalaria sob o comando do Brig. O general Alfred Pleasonton foi incluído.
  • o Grande Divisão Central, comandado pelo major-general Joseph Hooker, consistia no III Corpo de Brig. Gen. George Stoneman (divisões do Brig. Gens. David B. Birney, Daniel E. Sickles e Amiel W. Whipple) e o V Corpo do Major Gen. Daniel Butterfield (divisões do Brig. Gens. Charles Griffin, Andrew A. . Humphreys e major-general George Sykes). Uma brigada de cavalaria sob o comando do Brig. O general William W. Averell foi incluído.
  • o Esquerda Grande Divisão, comandado pelo General-de-Brigada William B. Franklin, consistia no I Corpo do General-General John F. Reynolds (divisões do Brig. Gens. Abner Doubleday e John Gibbon e do General-General George G. Meade) e o VI Corpo de General William F. "Baldy" Smith (divisões do Brig. Gens. William TH Brooks, Albion P. Howe e John Newton). Uma brigada de cavalaria comandada pelo Brig. O general George D. Bayard foi nomeado.
  • o reserva, comandado pelo major-general Franz Sigel do XI Corpo de exército, estava na área de Fairfax Court House. O XII Corpo de exército, sob o comando do major-general Henry W. Slocum, foi chamado de Harpers Ferry para Dumfries, Virgínia, para se juntar à força de reserva em 9 de dezembro, mas nenhuma dessas tropas participou da batalha. [21]

Edição Confederada

Robert E. Lee's Exército da Virgínia do Norte tinha quase 79.000 homens, [7] com 72.500 [8] engajados. Sua organização do exército em corpo foi aprovada por um ato do Congresso Confederado em 6 de novembro de 1862 e consistia em:

  • O Primeiro Corpo do Tenente-General James Longstreet incluiu as divisões do Maj. Gens. Lafayette McLaws, Richard H. Anderson, George E. Pickett e John Bell Hood e Brig. Gen. Robert Ransom, Jr.
  • O Segundo Corpo do Tenente-General Thomas J. "Stonewall" Jackson incluiu as divisões do Maj. Gens. D.H. Hill e A.P. Hill e Brig. Gens. Jubal A. Early e William B. Taliaferro.
  • Artilharia de reserva sob o Brig. General William N. Pendleton.
  • A Divisão de Cavalaria sob o major-general J.E.B. Stuart.

Os dois exércitos em Fredericksburg representaram o maior número de homens armados que já se enfrentaram para o combate durante a Guerra Civil. [22]

Crossing the Rappahannock, 11 a 12 de dezembro Editar

Barcos pontões do Exército da União mobilizados para implantação

Modelo de uma parte da ponte flutuante construída para o filme Deuses e generais, exibido no Parque Nacional Militar de Fredericksburg e Spotsylvania

Pontes de pontão em Franklin's Crossing

Brigada de Mississippi de Barksdale atira contra os engenheiros da União

Os engenheiros da União começaram a montar seis pontes flutuantes antes do amanhecer de 11 de dezembro, duas ao norte do centro da cidade, uma terceira no extremo sul da cidade e três mais ao sul, perto da confluência de Rappahannock e Deep Run. Os engenheiros que construíram a ponte diretamente em frente à cidade foram atacados por atiradores de elite confederados, principalmente da brigada de Brig do Mississippi. Gen. William Barksdale, no comando das defesas da cidade. A artilharia da União tentou desalojar os atiradores, mas suas posições nos porões das casas tornaram o fogo de 150 canhões praticamente ineficaz. Eventualmente, o comandante de artilharia de Burnside, Brig. O general Henry J. Hunt o convenceu a enviar grupos de desembarque de infantaria nos barcos pontões para proteger uma pequena cabeça de ponte e derrotar os atiradores de elite. O coronel Norman J. Hall ofereceu sua brigada para esta tarefa. Burnside de repente ficou relutante, lamentando para Hall na frente de seus homens que "o esforço significou a morte para a maioria dos que deveriam empreender a viagem". Quando seus homens responderam ao pedido de Hall com três vivas, Burnside cedeu. Às 15h00, a artilharia da União começou um bombardeio preparatório e 135 soldados de infantaria do 7º Michigan e do 19º Massachusetts lotaram os pequenos barcos, e o 20º Massachusetts veio logo em seguida. Eles cruzaram com sucesso e se espalharam em uma linha de combate para limpar os atiradores de elite. Embora alguns dos confederados se tenham rendido, os combates prosseguiram rua a rua pela cidade enquanto os engenheiros completavam as pontes. A Grande Divisão Direita de Sumner começou a cruzar às 16h30, mas a maior parte de seus homens não cruzou até 12 de dezembro. A Grande Divisão Central de Hooker cruzou em 13 de dezembro, usando as pontes norte e sul. [23]

A limpeza dos edifícios da cidade pela infantaria de Sumner e pelo fogo de artilharia do outro lado do rio deu início ao primeiro grande combate urbano da guerra e da história americana. Os artilheiros da União enviaram mais de 5.000 projéteis contra a cidade e as cordilheiras a oeste. Ao cair da noite, quatro brigadas de tropas da União ocuparam a cidade, que saquearam com uma fúria nunca vista na guerra até então. Esse comportamento enfureceu Lee, que comparou suas depredações com as dos antigos vândalos. A destruição também irritou as tropas confederadas, muitas das quais eram nativas da Virgínia. Muitos do lado da União também ficaram chocados com a destruição infligida a Fredericksburg. O número de vítimas civis foi anormalmente baixo devido à violência generalizada. George Rable estima não mais do que quatro mortes de civis. [24]

As travessias de rios ao sul da cidade pela Grande Divisão de Esquerda de Franklin foram muito menos agitadas. Ambas as pontes foram concluídas às 11 da manhã de 11 de dezembro, enquanto cinco baterias de artilharia da União suprimiram a maioria dos disparos de franco-atiradores contra os engenheiros. Franklin foi encomendado às 16h. para cruzar todo o seu comando, mas apenas uma única brigada foi enviada antes de escurecer. As travessias foram retomadas ao amanhecer e foram concluídas por volta das 13h00. em 12 de dezembro. No início de 13 de dezembro, Jackson recordou suas divisões sob Jubal Early e D.H. Hill de posições rio abaixo para unir suas principais linhas defensivas ao sul da cidade. [25]

As instruções verbais de Burnside em 12 de dezembro delinearam um ataque principal de Franklin, apoiado por Hooker, no flanco sul, enquanto Sumner fez um ataque secundário no flanco norte. Suas ordens reais em 13 de dezembro foram vagas e confusas para seus subordinados. Às 17 horas em 12 de dezembro, ele fez uma inspeção rápida do flanco sul, onde Franklin e seus subordinados o pressionaram para dar ordens definitivas para um ataque matinal da grande divisão, para que tivessem tempo adequado para posicionar suas forças durante a noite. No entanto, Burnside contestou e a ordem não chegou a Franklin antes das 7h15 ou 7h45. Quando chegou, não era como Franklin esperava. Rather than ordering an attack by the entire grand division of almost 60,000 men, Franklin was to keep his men in position, but was to send "a division at least" to seize the high ground (Prospect Hill) around Hamilton's Crossing, Sumner was to send one division through the city and up Telegraph Road, and both flanks were to be prepared to commit their entire commands. Burnside was apparently expecting these weak attacks to intimidate Lee, causing him to withdraw. Franklin, who had originally advocated a vigorous assault, chose to interpret Burnside's order very conservatively. Brigue. Gen. James A. Hardie, who delivered the order, did not ensure that Burnside's intentions were understood by Franklin, and map inaccuracies about the road network made those intentions unclear. Furthermore, Burnside's choice of the verb "to seize" was less forceful in 19th century military terminology than an order "to carry" the heights. [26]

South of the city, December 13 Edit

December 13 began cold and overcast. A dense fog blanketed the ground and made it impossible for the armies to see each other. Franklin ordered his I Corps commander, Maj. Gen. John F. Reynolds, to select a division for the attack. Reynolds chose his smallest division, about 4,500 men commanded by Maj. Gen. George G. Meade, and assigned Brig. Gen. John Gibbon's division to support Meade's attack. His reserve division, under Maj. Gen. Abner Doubleday, was to face south and protect the left flank between the Richmond Road and the river. Meade's division began moving out at 8:30 a.m., with Gibbon following behind. At around 10:30, the fog started lifting. They moved parallel to the river initially, turning right to face the Richmond Road, where they began to be struck by enfilading fire from the Virginia Horse Artillery under Major John Pelham. Pelham started with two cannons—a 12-pounder Napoleon smoothbore and a rifled Blakely—but continued with only one after the latter was disabled by counter-battery fire. "Jeb" Stuart sent word to Pelham that he should feel free to withdraw from his dangerous position at any time, to which Pelham responded, "Tell the General I can hold my ground." The Iron Brigade (formerly Gibbon's command, but now led by Brig. Gen. Solomon Meredith) was sent out to deal with the Confederate horse artillery. This action was mainly conducted by the 24th Michigan Infantry, a newly enlisted regiment that had joined the brigade in October. After about an hour, Pelham's ammunition began to run low and he withdrew. General Lee observed the action and commented about Pelham, age 24, "It is glorious to see such courage in one so young." The most prominent victim of Pelham's fire was Brig. Gen. George D. Bayard, a cavalry general mortally wounded by a shell while standing in reserve near Franklin's headquarters. Jackson's main artillery batteries had remained silent in the fog during this exchange, but the Union troops soon began to receive direct fire from Prospect Hill, principally five batteries directed by Lt. Col. Reuben Lindsay Walker, and Meade's attack was stalled about 600 yards from his initial objective for almost two hours by these combined artillery attacks. [27]

The Union artillery fire was lifted as Meade's men moved forward around 1 p.m. Jackson's force of about 35,000 remained concealed on the wooded ridge to Meade's front. His formidable defensive line had an unforeseen flaw. In A.P. Hill's division's line, a triangular patch of the woods that extended beyond the railroad was swampy and covered with thick underbrush and the Confederates had left a 600-yard gap there between the brigades of Brig. Gens. James H. Lane and James J. Archer. Brigue. Gen. Maxcy Gregg's brigade stood about a quarter mile behind the gap. Meade's 1st Brigade (Col. William Sinclair) entered the gap, climbed the railroad embankment, and turned right into the underbrush, striking Lane's brigade in the flank. Following immediately behind, his 3rd Brigade (Brig. Gen. Feger Jackson) turned left and hit Archer's flank. The 2nd Brigade (Col. Albert L. Magilton) came up in support and intermixed with the leading brigades. As the gap widened with pressure on the flanks, thousands of Meade's men reached the top of the ridge and ran into Gregg's brigade. Many of these Confederates had stacked arms while taking cover from Union artillery and were not expecting to be attacked at that moment, so were killed or captured unarmed. Gregg at first mistook the Union soldiers for fleeing Confederate troops and ordered his men not to fire on them. While he rode prominently in front of his lines, the partially deaf Gregg could not hear the approaching Federals or their bullets flying around him. In the confusion, a bullet struck his spine and fatally wounded him he died two days later. Col. Daniel Hamilton of the 1st South Carolina assumed command, but Gregg's brigade was totally routed and was no longer an organized unit for the rest of the day. James Archer meanwhile was being pressed hard on his left flank and sent word for Gregg to reinforce him, unaware that he had been shot and his brigade had disintegrated. The 19th Georgia's flag was captured by the adjutant of the 7th Pennsylvania Reserves it was the only Confederate regimental flag captured and retained by the Army of the Potomac in the battle. [28] The Georgians broke and ran. The 14th Tennessee resisted the onslaught for a time before also breaking a sizable number of its men were taken prisoner. Archer frantically sent messages to the rear, calling on John Brockenbrough and Edmund Atkinson's brigades for help. With ammunition on both sides running low, hand-to-hand fighting ensued with soldiers stabbing at each other with bayonets and using muskets as clubs. Most of the regimental officers on both sides went down as well on the Confederate side, the 1st Tennessee went through three commanders in a matter of minutes. Meade's 15 regiments also lost most of their officers, although Meade himself survived the battle unscathed despite having been exposed to heavy artillery fire. [29]

Confederate reserves—the divisions of Brig. Gens. Jubal A. Early and William B. Taliaferro—moved into the fray from behind Gregg's original position. Inspired by their attack, regiments from Lane's and Archer's brigades rallied and formed a new defensive line in the gap. Now Meade's men were receiving fire from three sides and could not withstand the pressure. Feger Jackson attempted to flank a Confederate battery, but after his horse was shot and he began to lead on foot, he was shot in the head by a volley and his brigade fell back, leaderless (Col. Joseph W. Fisher soon replaced Jackson in command). [30]


First Battle of Deep Bottom

Two weeks after Union forces arrived to invest the Confederate defenders of Petersburg, the battle lines of both sides settled into a stalemate. Since Cold Harbor, Lieut. Gen. Ulysses S. Grant was reluctant to mount a large frontal attack against well-entrenched Confederates. By late June, Grant's lines covered most of the eastern approaches to Petersburg, but neither side seemed ready to risk an offensive move. Determined to break the stalemate, Grant agreed to plans to blow up part of the Confederate defenses with an explosive-filled mine. To draw down possible reinforcements in that area, an offensive was planned for July 27th near a stream east of the James River opposite Bermuda Hundred known to locals as Deep Bottom. For two days, the Union Second Corps under Maj. Gen. Winfield Scott Hancock, augmented by two brigades of cavalry under Maj. Gen. Phil Sheridan, engaged in a series of sharp fights with Confederates under Maj. Gen. Richard H. Anderson as both sides jockeyed for position along New Market Road on the north bank of the river. Although Hancock’s forces performed well, they were unable to advance west from Deep Bottom and threaten Richmond. Nevertheless, the battle successfully diverted Robert E. Lee’s men and attention in the days before the mine was blown on July 30th, resulting in the Battle of the Crater.


Battle of Fredericksburg History: Marye's Heights

In several ways, Marye's Heights offered the Federals their most promising target. Not only did this sector of Lee's defenses lie closest to the shelter of Fredericksburg, but the ground rose less steeply here than on the surrounding hills.

Nevertheless, Union soldiers had to leave the city, descend into a valley bisected by a water-filled canal ditch, and ascend an open slope of 400 yards to reach the base of the heights. Artillery atop Marye's Heights and nearby elevations would thoroughly blanket the Federal approach. "A chicken could not live on that field when we open on it," boasted on Confederate cannoneer.

Sumner's first assault began at noon and set the pattern for a ghastly series of attacks that continued, one after another, until dark. As soon as the Northerners marched out of Fredericksburg, Longstreet's artillery wreaked havoc on the crisp blue formations. The Unionists then encountered a deadly bottleneck at the canal ditch which was spanned by partially-destroyed bridges at only three places. Once across this obstacle, the attackers established shallow battle lines under cover of a slight bluff that shielded them from Rebel eyes.

Orders then rang out for the final advance. The landscape beyond the canal ditch contained a few buildings and fences, but from the military perspective it provided virtually no protection. Dozens of Southern cannon immediately reopened on the easy targets, and when the Federals traversed about half the remaining distance, sheets of flame spewed forth from the Sunken Road. This rifle fire decimated the Northerners. Survivors found refuge behind a small swale in the ground or retreated back to the canal ditch valley.

Quickly a new Federal brigade burst toward Marye's Heights and the "terrible stone wall," then another, and another, until three entire divisions had hurled themselves at the Confederate bastion. In one hour, the Army of the Potomac lost nearly 3,000 men but the madness continued.

Although General Cobb suffered a mortal wound early in the action, the Southern line remained firm. Kershaw's Brigade joined North Carolinians in reinforcing Cobb's men in the Sunken Road. The Confederates stood four ranks deep, maintaining a ceaseless line of fire while the gray-clad artillerists fired over their heads.

More Union units tested the impossible. "We came forward as though breasting a storm of rain and sleet, our faces and bodies being only half- turned to the storm, our shoulders shrugged," remembered one Federal. "Everybody from the smallest drummer boy on up seemed to be shouting to the full extent of his capacity," recalled another. But each blue wave crested short of the goal. Not a single Union soldier laid his hand on the stone wall.


Clara Barton at Chatham

Clara Barton first visited Chatham (known as the Lacy House during the war) in early August, 1862. She brought with her food and hospital supplies that she had collected to help "her boys" who were camped in the vicinity of the house.

Barton returned to Chatham during the Fredericksburg Campaign in December, 1862. She again brought supplies and was assigned a room in the house where she wrote a letter, see below, to her cousin Elvira. From the second floor, she watched the building of the pontoon bridges and bombardment of the city on December 11th. As wounded men were brought into the house, she comforted soldiers from both sides. Later in the day, a physician requested her help in the city. As she stepped off the pontoon bridge, an officer offered her his hand. A shell passed under their arms, tearing away part of her skirt and his coattail. Soon afterwards, Clara saw the dead body of this officer. She set up a soup kitchen in town. She spent much of the next day at the Lacy House which had become a hospital for the Union 2nd Corps. Since the doctors were too busy to keep medical records during battle, she wrote in her diary the names of the men who died at Chatham and where they were buried.

The heaviest fighting of the battle occurred on the 13th. Her diary is one of only two sources that mention a shot striking the Lacy House. She watched in horror from the doorway as a fragment from an exploding shell severed a soldier's artery. She applied a tourniquet that saved the man's life. Despite the critical need for help at Chatham, she thought she could be of more help across the river. Arriving in town, the Union provost marshall, who thought she was a civilian, volunteered to escort her to safety. Looking at the thousands of Union soldiers around her, she politely turned down the offer saying that she was the best protected woman in the world. When a shell struck the door of the room she was in, "she did not flinch, but continued her duties" of assisting the doctors.

Returning to Chatham where she spent the next two weeks, she saw "hundreds of the worst wounded men I have ever seen." The wounded occupied every room of the house and "covered every foot of the floors and porticos." She recorded that they lay on the stair landings and a man "thought himself rich" if he laid under a table where he would not be stepped on. She noticed five men stuffed onto four shelves of a cupboard. Still the 12,000 square-foot building did not contain enough space to hold all the wounded of the 2nd Corps. Many were placed on blankets in the muddy yard where they shivered in the cold December air as they waited for someone inside to die creating a space for them. Clara set up a soup kitchen in a tent in the yard to help these wounded soldiers.

One and a half years later, Fredericksburg again became filled with wounded from the battles of Wilderness and Spotsylvania. Barton rushed south from Washington and as she passed the large brick mansion she remembered the horrors she had seen there in 1862. Of the immense amount of death and destruction she saw during her life time, Clara Barton never forgot what she witnessed at Chatham. Likewise, the survivors would not forget Barton's kindness and service often under dangerous conditions.

Clara Barton Letter

The following letter, copied from the original in the Library of Congress, is on display at Chatham:

9th Army Corps-Army of the Potomac

December 12th, 1862 - 2 o'clock A.M.

Five minutes time with you and God only knows what those five minutes might be worth to the many-doomed thousands sleeping around me.

It is the night before a battle. The enemy, Fredericksburg, and its mighty entrenchments lie before us, the river between - at tomorrow's dawn our troops will assay to cross, and the guns of the enemy will sweep those frail bridges at every breath.

The moon is shining through the soft haze with a brightness almost prophetic. For the last half hour I have stood alone in the awful stillness of its glimmering light gazing upon the strange sad scene around me striving to say, "Thy will Oh God be done."

The camp fires blaze with unwanted brightness, the sentry's tread is still but quick - the acres of little shelter tents are dark and still as death, no wonder for us as I gazed sorrowfully upon them. I thought I could almost hear the slow flap of the grim messenger's wings, as one by one he sought and selected his victims for the morning. Sleep weary one, sleep and rest for tomorrow toil. Oh! Sleep and visit in dreams once more the loved ones nestling at home. They may yet live to dream of you, cold lifeless and bloody, but this dream soldier is thy last, paint it brightly, dream it well. Oh northern mothers wives and sisters, all unconscious of the hour, would to Heaven that I could bear for you the concentrated woe which is so soon to follow, would that Christ would teach my soul a prayer that would plead to the Father for grace sufficient for you, God pity and strengthen you every one.

Mine are not the only waking hours, the light yet burns brightly in our kind hearted General's tent where he pens what may be a last farewell to his wife and children and thinks sadly of his fated men.

Already the roll of the moving artillery is sounded in my ears. The battle draws near and I must catch one hour's sleep for tomorrow's labor.

Good night near cousin and Heaven grant you strength for your more peaceful and less terrible, but not less weary days than mine.


Conteúdo

Failed attempt by General Ambrose Burnside to cross the Rappahannock and take the Confederate capital Richmond. Delayed arrival of the pontoons had given Robert E. Lee time to fortify the high ground, and the result was a one-sided massacre. Visitor center staffed by Park Service rangers.

A bold gamble by Robert E. Lee, dividing his forces and sending Stonewall Jackson on a flanking attack, which took the enemy totally by surprise, causing the Union commander General Joseph Hooker to lose his nerve and call retreat. Visitor center staffed by Park Service rangers.

Robert E. Lee's first battle against Grant, whose advantage in artillery could not be used in the dense forest. Casualties were high on both sides, and the battle is classed as a draw. Grant withdrew, but only in order to force another battle in more open country. Exhibit shelters, staffed on a seasonal basis.

Key crossroads which Grant hoped to occupy, to keep his army between Lee and the Confederate capital Richmond. Lee was able to take this position just ahead of Grant. Heavy rain had dampened the gunpowder, leading to intense hand-to-hand fighting. Exhibit shelters, staffed on a seasonal basis.

The park also preserves four historic buildings associated with the battles: Chatham Manor, Salem Church, Ellwood Manor, and the house where Stonewall Jackson died. The ruins of the Chancellor family mansion are included. Chatham Manor in Stafford County is open daily. All sites are free.

The park was established as Fredericksburg and Spotsylvania County Battlefields Memorial National Military Park on February 14, 1927, and transferred from the War Department August 10, 1933. The lengthy name remains its official designation—75 letters, the longest name of any unit in the national park system. It was listed on the National Register of Historic Places on October 15, 1966. The park includes 8374 acres (33.89 km 2 ), of which 7369 acres (30 km 2 ) are owned by the Federal government. Over 500,000 people visit the battlefield each year.

Fredericksburg National Cemetery was created by act of Congress, in July 1865 after reunification of the states, to honor the Federal soldiers who died in local battles or from disease. The cemetery was placed on Marye's Heights, a Confederate stronghold during the Battle of Fredericksburg. There are a total of 15,243 Civil War interments, of those, only 2,473 were identified. [3]

Graves of soldiers, known and unknown, are distinguished by their markers. Identified soldiers are buried in individual graves, marked by a rounded headstone inscribed with the soldier's name and state. Unknown soldiers were buried in mass graves, the headstones marking these plots contain two numbers. The first, upper, number identifies the plot while the second, lower, number identifies the number of soldiers buried in that plot. [3]

Approximately 100 20th-century soldiers are buried in the cemetery in some cases, their spouses were buried next to them. The cemetery allowed new burials until 1945. [4] Willis Cemetery, a separate cemetery on Marye's Heights, was established to serve local needs and predates the Civil War. This cemetery is distinguished from the Civil War burials by its brick wall. The Willis home, which burned down before the outbreak of war, was separated by a gap in the ridge from the Marye's family home, Brompton. Previously known as Willis Hill, the name Marye's Heights was applied to the whole of the ridge as the battle was covered by the national press in 1863. [3]

Located near the 127th Pennsylvania Volunteer Monument, and throughout the cemetery, are plaques containing verses from Theodore O'Hara's 1847 poem "The Bivouac of the Dead". [3] O'Hara wrote the poem to commemorate American dead at the Battle of Buena Vista, fought during the Mexican–American War. [5] The first two octaves, and the first half of the eleventh octave are displayed in the cemetery:

The muffled drum's sad roll has beat
The soldier's last Tattoo
No more on life's parade shall meet
That brave and fallen few.
On fame's eternal camping ground
Their silent tents to spread,
And glory guards, with solemn round
The bivouac of the dead.

No rumor of the foe's advance
Now swells upon the wind
Nor troubled thought at midnight haunts
Of loved ones left behind
No vision of the morrow's strife
The warrior's dreams alarms
No braying horn or screaming fife
At dawn shall call to arms.

Rest on, embalmed and sainted dead,
Dear as the blood ye gave,
No impious footstep here shall tread

The herbage of your grave.

The following monuments and memorials are located in the Fredericksburg National Cemetery: [3]


The Battle of Fredericksburg

This landscape, now changed by commercial and residential development, once swarmed with Union soldiers. Forty thousand Northern troops, led by General William B. Franklin, having crossed the Rappahannock River, massed here on the plain south of Fredericksburg. A like number of soldiers, led by General Edwin V. Sumner, occupied the town itself.

Franklin and Sumner had the same objective: drive the Confederate army from its stronghold on the heights west of the river. Franklin would attack the right end of the Confederate line at Prospect Hill, one-half mile to your left-front, while Sumner attacked the left end of the enemy line at Marye s Heights, in rear of Fredericksburg. Franklin deployed his troops one-quarter mile ahead of you. At 10 a.m., December 13, 1862, as he was making final arrangements for the assault, the sound of cannon fire broke the silence. Franklin himself was under attack!

Erected 2007 by The Delaware Corporation.

Tópicos This historical marker is listed in this topic list: War, US Civil. A significant historical date for this entry is December 13, 1862.

Location. 38° 15.158′ N, 77° 25.574′ W. Marker is near Fredericksburg, Virginia, in Spotsylvania County. Marker is at the intersection of Tidewater Trail (Virginia Route 2) and Benchmark Road (

County Route 608), on the right when traveling south on Tidewater Trail. Toque para ver o mapa. Marker is in this post office area: Fredericksburg VA 22408, United States of America. Touch for directions.

Other nearby markers. At least 8 other markers are within walking distance of this marker. The Gallant Pelham (here, next to this marker) a different marker also named The Gallant Pelham (here, next to this marker) Stuart and Pelham (here, next to this marker) Fort Hood (here, next to this marker) Colonial Fort (approx. 0.2 miles away) Fredericksburg Campaign (approx. 0.6 miles away) Dead Horse Hill (approx. 0.6 miles away) a different marker also named Fredericksburg Campaign (approx. 0.6 miles away). Touch for a list and map of all markers in Fredericksburg.

More about this marker. A map showing unit locations during the battle dominates the center of the marker. On the upper right is a portrait of Gen. Franklin captioned, "William B. Franklin - A staff officer who saw Franklin during the war described him as “an easy, unpretending soldier, strong and manly.” At Fredericksburg he commanded the left wing of the Union army." On the lower right is "A view of the battlefield as it appeared in 1893."


Assista o vídeo: Wilderness Battle - Animated Cartography (Pode 2022).