Artigos

Sebastiano Serlio

Sebastiano Serlio


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Sebastiano Serlio (1475-1554 CE) foi um arquiteto, pintor e estudioso renascentista italiano. Seu projeto de construção de maior sucesso é o Château d'Ancy-le-Franc, de inspiração clássica, na França. A bolsa de estudos de Serlio veio junto em sua Sete livros sobre arquitetura, um trabalho teórico e prático extremamente influente. Nele, Serlio categorizou edifícios clássicos antigos, canonizou as cinco ordens clássicas, foi pioneiro no uso abundante de ilustrações em tais livros e influenciou muito arquitetos em toda a Europa, especialmente em relação a portas e dando ideias que poderiam ser facilmente copiadas por qualquer bom pedreiro.

Vida pregressa

Sebastiano Serlio nasceu em Bolonha, Itália, em 6 de setembro de 1475 CE. Seu pai o treinou como pintor e ele demonstrou um interesse particular pela perspectiva. Não se sabe muito sobre a vida pessoal de Serlio, exceto que ele se casou e teve vários filhos. Em 1514 CE mudou-se para Roma, onde se tornou assistente do arquiteto e pintor de Siena Baldassare Tommaso Peruzzi (1481-1536 CE), que na verdade era mais jovem do que Serlio. Peruzzi trabalhou em muitos projetos, incluindo a nova Basílica de São Pedro em 1520 dC, e ele possuía uma grande coleção de desenhos arquitetônicos que seu assistente mais tarde faria um excelente uso. Serlio e Peruzzi deixaram Roma em 1527 EC e visitaram Veneza juntos. Foi nesse período que Serlio começou a escrever sua grande série de tratados de arquitetura nos quais trabalharia pelo resto da vida.

Mude-se para a França

Em 1541 CE, Serlio deixou a Itália e foi para a França, onde trabalhou para o rei Francisco I da França (r. 1515-1547 CE) no projeto e construção do Palácio de Fontainebleau. Pouca parte do palácio pode ser atribuída com segurança a Serlio, exceto uma porta monumental, a Grand Ferrara. Serlio havia construído um castelo perto de Fontainebleau para o Cardeal de Ferrara, mas ele não sobreviveu completo.

Uma contribuição mais duradoura e impressionante para a arquitetura francesa é o Château d'Ancy-le-Franc de Serlio, no departamento de Yonne, no centro-norte da França. Serlio trabalhou no castelo de 1544 a 1546 CE. Em seguida, foi concluído de acordo com os planos originais de Serlio, mas sem seu envolvimento direto. O castelo foi construído para o conde Antoine de Clermont-Tonnerre, e o arquiteto o concebeu como uma fortaleza não funcional para um príncipe moderno. As quatro alas e quatro torres quadradas maciças encerram um pátio interno. Um toque clássico são as pilastras de cada lado das muitas janelas, embora não sejam espaçadas com a regularidade dos edifícios italianos. Em consonância com o clima mais frio em relação à Itália, a cobertura tem as tradicionais encostas íngremes vistas em edifícios do norte da França. Seu trabalho mais sobrevivente como arquiteto, o castelo mostra o uso de contenção decorativa harmoniosa de Serlio, o uso de efeitos de sombra e uma mistura de tradição local e clássica.

Usando os livros de Serlio, um patrono com tempo, dinheiro e um pedreiro útil poderia reproduzir praticamente qualquer estilo de construção que desejasse.

Sete livros sobre arquitetura

A grande contribuição de Serlio para a literatura renascentista nas artes é sua Tutte l'opera d'architettura, et prosepetiva, ou Obras completas sobre arquitetura e perspectiva. Este trabalho consistia em seis volumes, que foram publicados (não em ordem) entre 1537 e 1551 CE. Após a morte de Serlio, um sétimo volume foi publicado em 1575 CE. A obra completa, muitas vezes chamada de Sete livros sobre arquitetura, não apenas cobriu os edifícios sobreviventes da antiguidade e da teoria da arquitetura contemporânea, mas, ao contrário da maioria das outras obras sobre o assunto, também incluiu conselhos práticos para arquitetos com base em modelos.

o Sete livros sobre arquitetura cobre os seguintes tópicos:

  • Livro I - geometria
  • Livro II - perspectiva
  • Livro III - antiguidades
  • Livro IV - as cinco ordens clássicas
  • Livro V - igrejas (descritas por Serlio como templos)
  • Livro VI - gateways e arquitetura doméstica
  • Livro VII - uma consideração de problemas comuns de design

Um oitavo livro foi adicionado à lista no século 20 dC, após a descoberta de um manuscrito agora em Munique. Este último volume cobre a descrição de um acampamento militar pelo escritor grego do século 2 AEC, Políbio.

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Outra novidade para tal trabalho foi a inclusão de muitas ilustrações impressas em xilogravura, detalhadas e precisas, desenhadas por ele mesmo, Peruzzi e Donato Bramante (c. 1444-1514 CE). Na verdade, o livro é muito mais uma série de ilustrações conectadas por texto do que uma obra em prosa com um punhado de imagens.

Em sua obra, Serlio formalizou a famosa classificação das cinco ordens arquitetônicas, a quinta tendo sido identificada pela primeira vez c. 1450 DC pelo arquiteto e estudioso Leon Battista Alberti (1404-1472 DC). Essas ordens são: toscana, dórica, jônica, coríntia e a quinta, composta (uma mistura de elementos jônicos e coríntios), então melhor vista, segundo Serlio, no andar superior do Coliseu em Roma. A canonização dos pedidos os transformou em uma espécie de gramática arquitetônica que os arquitetos subsequentes usaram e reagiram desde então. Sua importância para Serlio é indicada por sua ilustração no início de seu livro, uma decisão copiada por quase todos os outros estudiosos da arquitetura nos dois séculos seguintes.

Extremamente popular e influente, Serlio's Magnum Opus não obteve aprovação em todos os trimestres. O arquiteto Giovanni Paolo Lomazzo certa vez lamentou que a obra de Serlio fosse lida por tantas pessoas que ele, conseqüentemente, produziu "mais arquitetos hackeados do que cabelos na barba" (Hale, 298). Sem dúvida, isso foi resultado da eficácia de Serlio como autor, uma vez que, usando os livros, um patrono com tempo, dinheiro e um pedreiro útil podia reproduzir praticamente qualquer estilo de construção que desejasse. A consequência dessa disseminação de idéias muitas vezes resultou em edifícios híbridos que estranhamente misturaram elementos clássicos da arquitetura com aqueles tradicionalmente usados ​​naquela área geográfica específica, especialmente na Inglaterra e na França.

As obras coletivas de Serlio se tornaram a bíblia para todos os arquitetos renascentistas subsequentes.

Morte e Legado

Serlio morreu em Fontainebleau, França, em 1554 CE. Seu livro sobre arquitetura continuou a ser popular muito depois de sua morte e foi de particular interesse para os arquitetos do estilo neoclássico. As 50 ilustrações de portas altamente decorativas no penúltimo volume de seu livro foram especialmente populares entre os arquitetos maneiristas, particularmente no norte da Europa. Na verdade, Serlio's Sete livros foi traduzido para o inglês em 1611 EC, bem como várias outras línguas europeias, incluindo alemão, espanhol, holandês e flamengo. Desta forma, as ideias e a reputação de Serlio como o principal catalogador da arquitetura do passado e do moderno se espalharam pela Europa. Em suma, como disse o historiador da arquitetura J. Summerson, as obras coletivas de Serlio se tornaram a bíblia para todos os arquitetos renascentistas subsequentes:

Os italianos os usaram, os franceses deviam quase tudo a Serlio e seus livros, os alemães e flamengos basearam seus próprios livros nos dele, os elisabetanos tiraram dele e Sir Christopher Wren ainda achava Serlio inestimável quando construiu o Sheldonian em Oxford em 1663 . (11)

Serlio se mostrou influente em áreas mais secundárias e menos óbvias, como o uso da perspectiva em maquetes e cenários pintados para palcos de teatro. Usando um único ponto de fuga, o cenário ofereceu ao público um fundo muito mais realista, por exemplo, uma rua que se distanciava dos atores que estavam diante dela. O trabalho do arquiteto até mesmo teve um renascimento em outros continentes depois que os espanhóis pegaram seu livro e copiaram elementos dele nos edifícios que ergueram no México e no Peru, enquanto os missionários jesuítas fizeram o mesmo na Índia e em outras partes da Ásia.


Serlio, Sebastiano

Serlio, Sebastiano (1475 e # x20131554). Arquiteto, teórico e pintor italiano. Ele é lembrado principalmente como o compilador de L'Architettura (publicado em parcelas (1537 & # x201375) e reunido em um volume em 1584). A primeira parte a aparecer foi, na verdade, o Livro IV, chamado Regole generale (1537), que delineou os livros posteriores, mas, mais significativamente, codificou e ilustrou as cinco ordens romanas de arquitetura. L'Architettura foi um tratado de enorme importância, não apenas em termos da teoria da Renascença, mas porque foi um livro útil para arquitetos, essencialmente por suas excelentes ilustrações e pelo fato de ser em uma linguagem moderna. Também foi modelo para o Quattro Libri de Palladio. O livro III (1540) descreveu e ilustrou os edifícios antigos da antiguidade romana, bem como a arquitetura de Bramante e Rafael, mas na obra como um todo, Serlio cobriu uma vasta gama de detalhes clássicos (incluindo grotescos e rusticação), discutiu o significado e poder emotivo da arquitetura clássica e, em Livre extraordinaire (publicado em francês em 1551), forneceu ilustrações de portas, muitas das quais eram fantasias ricamente inventivas, e influenciaram o maneirismo no norte da Europa.

No c.1514 esteve em Roma, onde trabalhou com Peruzzi, seu principal tutor, de quem adquiriu muitos desenhos usados ​​posteriormente em L'Architettura. Após o saque de Roma (1527), ele se estabeleceu em Veneza, então um importante centro editorial e um lugar óbvio para viver para alguém que escrevia um tratado sobre arquitetura. Enquanto em Veneza, ele pode ter projetado alguns edifícios. Sabe-se que participou do concurso de renovação da & # x2018basilica & # x2019, Vicenza (1539), ganha por Palladio, cujo desenho não era diferente do apresentado por Serlio, e apresentava motivos semelhantes à serliana, que leva o seu nome.

Ele foi chamado para Fontainebleau, França, em 1541, onde aconselhou sobre o projeto das consideráveis ​​obras de construção no ch & # xE2teau e projetou a Salle du Bal lá (1541 & # x20138 & # x2014 concluída por de L'Orme) na qual a influência de Raphael é claro. Sua Grand Ferrare, a casa do Legado Papal para a França em Fontainebleau (1541 & # x20138 & # x2014 quase destruída), foi um protótipo importante do h & # xF4tel (casa na cidade) na França no século seguinte, enquanto seu ch & # xE2teau de Ancy-le-Franc na Borgonha (1541 & # x201350), com suas torres de canto e pátio central, mostra a influência de Maiano. O trabalho de Serlio sem dúvida informou Palladio, enquanto seus livros tiveram um efeito considerável em muitas gerações de designers, inicialmente através das edições de Pieter Coeck (1502 & # x201350) no norte da Europa, e através da edição em inglês de 1611 de Robert Peake (c.1551 & # x20131619) (Os Cinco Livros de Arquitetura), que foi uma fonte importante desde a época de Inigo Jones até o florescimento do segundo Renascimento Palladiano de Burlington e Campbell.

Art Bulletin, xxiv (1942), 55 & # x201391, 115 & # x201355
S. Frommel (2004)
E. Harris (1990)
Heydenreich (1996)
Lewis e Darley (1986)
Onians (1988)
Placzek (ed.) (1982)
Rosenfeld (1978)
Serlio (1584, 1611, 1663, 1964, 1996)
Thoenes (ed.) (1989)
Jane Turner (1996)

Cite este artigo
Escolha um estilo abaixo e copie o texto para sua bibliografia.


O arquiteto e teórico Sebastiano Serlio nasceu em Bolonha em 6 de setembro de 1475.

O arquiteto e teórico Sebastiano Serlio nasceu em Bolonha em 6 de setembro de 1475. Primeiramente formado como pintor, Serlio mudou-se para Roma em 1514, onde estudou arquitetura com Baldassare Peruzzi. Ele fugiu do saque de Roma em 1527 para Veneza e depois mudou-se para Fontainebleau em 1540 a pedido do rei francês Francisco I para servir como conselheiro em seu projeto de castelo.

Mais do que seus edifícios, poucos dos quais sobrevivem ou foram identificados, o tratado de Serlio Tutte l’opere d'architettura, et prospetiva teve grande influência em toda a Europa. Foi traduzido pela primeira vez para o inglês em 1611. Escrito mais como um guia prático do que teoria abstrata, o tratado ilustrado de Serlio era regularmente consultado por aqueles que desejavam incorporar o estilo all'antica em seus projetos.

Referência: ”Serlio, Sebastiano.” Grove Art Online. Oxford Art Online. Imprensa da Universidade de Oxford.

Leitura adicional: Sebastiano Serlio: Arquiteto de Sabine Frommel (2004) Sebastiano Serlio on Architecture trad. por Vaughn Hart e Peter Hicks (2005)

Antonio Fantuzzi após Sebastiano Serlio, Um Capriccio Arquitetônico com Ruínas e um Obelisco, gravura, ca. 1550

Lorenzo Lotto, Retrato de um Arquiteto (possivelmente Serlio), 1535, Berlim: Gemäeldegalerie

Plantas do Templo de Vesta em Tivoli, Livro III, 1560

Cânon das 5 ordens, publicado por Robert Peake, Londres, 1611

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Este site usa Akismet para reduzir o spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


CUL - Conteúdo Principal

o Projeto Serlio Digital na Avery Architectural & amp Fine Arts Library apresenta as coleções incomparáveis ​​de Avery das obras publicadas de Sebastiano Serlio e Na Arquitetura Doméstica (Tutte l'opere d'architettura, Livro VI) seu manuscrito não publicado também está incluído na coleção de Avery. O projeto também é um esforço para facilitar o uso ativo da coleção em atividades curriculares e de pesquisa, e para promover novas bolsas, como tal, reúne pesquisas atuais sobre as obras de Serlio.

Sebastiano Serlio (1475 - c. 1554) foi influente na canonização das ordens clássicas da arquitetura como autor de sete livros sobre arquitetura, conhecidos coletivamente como Tutte l'opere d'architettura. Ao longo de sua história, Avery trabalhou para adquirir edições impressas das obras de Serlio, incluindo mais recentemente a primeira tradução em espanhol (Livros III-IV, 1573) e a primeira tradução em inglês (Livro VII, 1611), adquirida por Avery em 2010. Na Arquitetura Doméstica não foi publicado durante a vida de Serlio, mas sobreviveu em forma de manuscrito, incluindo desenhos preparatórios e notas textuais para seu sexto livro projetado sobre arquitetura. Adquirido pela Avery Architectural & amp Fine Arts Library em 1924, o manuscrito é significativo não apenas por sua raridade, mas pelo Libro VI é indiscutivelmente o mais impactante em sua série, pois define a primeira tipologia da arquitetura doméstica ocidental. Os projetos de Serlio acomodam todos os estratos da sociedade, dos pobres à burguesia emergente e um palácio para o rei. Seu esquema de habitação concebe um modelo para uma nova forma urbana - a cidade moderna - baseada em uma construção social econômica.

A notável historiadora da arquitetura Myra Nan Rosenfeld, estudando com Rudolf Wittkower, foi apresentada ao manuscrito Serlio de Avery em seu curso de nível de mestrado na Universidade de Columbia. Mais tarde, trabalhando com James S. Ackerman, o manuscrito teve destaque em sua dissertação em Harvard, O Hôtel de Cluny e as fontes do palácio renascentista francês de 1350 a 1500. Rosenfeld continuou a publicar amplamente sobre Serlio e sua obra. Notavelmente, em 1978, ela publicou seus resultados de pesquisa no manuscrito Serlio de Avery, Sebastiano Serlio sobre Arquitetura Doméstica: diferentes habitações, desde a cabana mais mesquinha até o palácio mais ornamentado (Curadores da Columbia University e da Architectural History Foundation, MIT, 1978). Com introduções de Adolf K. Placzek e James S. Ackerman, a pesquisa de Rosenfeld coloca a obra de Serlio no contexto de sua época, enfatizando a importância de seus desenhos e descrições textuais na história do livro arquitetônico, seu impacto no desenvolvimento de uma tipologia habitacional estruturada e, por extensão, na própria forma urbana. O manuscrito Serlio de Avery foi reproduzido no exame seminal de Rosenfeld, mas, até agora, o corpus completo das edições Serlio e o manuscrito Serlio de Avery não foram disponibilizados online em alta resolução, aberto e livremente acessível para a comunidade de pesquisa.

O manuscrito Serlio de Avery continuou a capturar o interesse e a imaginação de gerações de alunos do Departamento de História da Arte e Arqueologia de Columbia e da Escola de Graduação em Arquitetura, Planejamento e Preservação (GSAPP). Mas em 2010, o trabalho de Serlio foi o foco do seminário de graduação de Francesco Benelli, e a equipe da Avery - trabalhando com o professor Benelli ao longo do semestre - testemunhou o envolvimento dos alunos com esses materiais primários, inspirando Avery a criar o Projeto Serlio Digital. Agora, no contexto de um cenário de bolsa de estudos digital em evolução, temos a oportunidade de revigorar a tradição acadêmica de aproveitar métodos contemporâneos - incluindo análise visual e textual usando imagens digitais de alta resolução - para reexaminar o corpus Serlio de Avery e as questões que ele fomenta arquitetura doméstica do século 16 e seu impacto no desenvolvimento da cidade moderna.

No quadragésimo aniversário da publicação do livro de Rosenfeld, temos o prazer de lançar nossa primeira demonstração da pesquisa Serlio renovada com base no corpus Serlio digitalizado na Avery. Onze acadêmicos convidados, cada um enfocando uma nova linha de investigação, estão publicando seus trabalhos aqui no Projeto Serlio Digital website e apresentando suas descobertas no Simpósio Digital Serlio em 19 de outubro de 2018 na Universidade de Columbia.

Tecnologia

Do ponto de vista da tecnologia, o Projeto Serlio Digital foi concebido como um único ponto integrado de descoberta para o Serlio corpus de Avery e os produtos de trabalho acadêmico do projeto. Ao explorar as opções de desenvolvimento e apresentação em potencial, descobrimos rapidamente que nenhuma plataforma técnica poderia atender às necessidades visuais, textuais, de descoberta e de acesso dos materiais. Como resultado, nossa equipe de bibliotecários, tecnólogos e acadêmicos trabalharam individual e colaborativamente para produzir os elementos agora colocados no Projeto Serlio Digital local na rede Internet.

Nossos colegas do Getty Research Institute nos ajudaram nos primeiros dias hospedando nosso Projeto no Getty Scholars 'Workspace ™. O Workspace nos forneceu uma plataforma online para experimentação, particularmente usando sua paleta de ferramentas para tradução e transcrição, e desenvolvimento preliminar da linha do tempo das edições Serlio.

Muitos colegas nas Bibliotecas da Universidade de Columbia (CUL) foram fundamentais no desenvolvimento e produção de aspectos do Projeto Serlio Digital. A equipe de Catalogação de Materiais Especiais e Originais trabalhou com a equipe da Avery Classics para catalogar e produzir metadados em nível de item para as edições impressas e cada folha do manuscrito Serlio.

A Divisão de Preservação e Conversão Digital da CUL trabalhou conosco para digitalizar cada uma de nossas edições impressas da Serlio. Eles agora podem ser descobertos e estão disponíveis gratuitamente para uso em pesquisa e ensino por meio do catálogo on-line das Bibliotecas da Universidade de Columbia, do Internet Archive, do Hathi Trust e, em breve, do Getty Research Portal.

O Digital Imaging Studio da Avery produziu as imagens de alta resolução de cada desenho e folha textual em nosso manuscrito Serlio. Trabalhando com a equipe da Biblioteca Digital e Tecnologias Acadêmicas do CUL, implantamos nossa plataforma de Coleções de Biblioteca Digital (DLC) para apresentar o manuscrito online da melhor forma. O conjunto de recursos DLC emprega protocolos padrão IIIF TM para a exibição e uso de imagens digitais de alta resolução, o que permite aos visualizadores ver o manuscrito com clareza incomparável e fazer panorâmicas / zoom nos menores detalhes de cada placa e elemento textual.

Carole Ann Fabian, Diretora (2009-2018)
Avery Architectural e Biblioteca de Belas Artes
Diretor, Projeto Serlio Digital

Reconhecimentos

o Projeto Serlio Digital é o resultado de um esforço de vários anos por uma equipe de projeto dedicada e talentosa e um grupo internacional de acadêmicos e estudantes, apoiados por compromissos de recursos institucionais, bem como financiamento do Samuel Freeman Charitable Trust e Sidney J. Weinberg, Jr. Foundation .

Agradecemos a todos os acadêmicos, alunos e funcionários por sua generosa colaboração, criatividade inspirada e compromisso contínuo com o Serlio Digital Projeto.

Diretores de Projeto
Francesco Benelli, Alma Mater Studiorum, Università di Bologna
Carole Ann Fabian, Avery Architectural & amp Fine Arts Library, Columbia University

Equipe do projeto (principal): Avery Architectural & amp Fine Arts Library, Columbia University
Teresa M. Harris, Lena A. Newman, Margaret Smithglass

Equipe do projeto (técnica): Bibliotecas da Universidade de Columbia
Ben Armintor, Roberta Blitz, Stephen Davis, Carole Ann Fabian, Violeta Ilik, Eric O’Hanlon, Margaret Smithglass

Metadados: Bibliotecas da Universidade de Columbia
Teresa Harris, Matthew Haugen, Lena Newman, Carol Pardo, Melanie Wacker

Imagem digital: Bibliotecas da Universidade de Columbia
Janet Gertz, Emily Holmes, David Ortiz, Dwight Primiano

Assessoria técnica: Getty Research Institute, Los Angeles
Murtha Baca, Marissa Clifford, Nathaniel Deines, Emily Pugh, Joe Shubitowski

Comitê Acadêmico:
Francesco Benelli, Alma Mater Studiorum, Università di Bologna
Maria Beltramini, Università di Roma Torvergata
Sabine Frommel, École Pratique des Hautes Études, Sorbonne, Paris
Teresa M. Harris, Avery Architectural & amp Fine Arts Library, Columbia University
Sara Galletti, Duke University, Durham NC
Mauro Mussolin, Universidade de Nova York, Florença, Itália
Mark Rakatansky, GSAPP, Columbia University
Francesca Mattei, Politécnico de Milão

Assistentes de pesquisa:
Chloe Demonet, École Pratique des Hautes Études, Sorbonne, Paris
Lorenzo Vigotti, candidato a doutorado, Universidade Columbia

Patrocínio

O Digital Serlio Project é um esforço colaborativo de acadêmicos e funcionários da Avery Architectural & amp Fine Arts Library, do Departamento de História da Arte e Arqueologia, da Escola de Graduação em Arquitetura, Planejamento e Preservação (GSAPP), da Escola de Graduação em Artes e Ciências e da Itália Academy (Columbia University) University of Bologna e a Ecolé nationale des Chartes.

o Projeto Serlio Digital é dirigido pela Avery Architectural & amp Fine Arts Library com fotografia digital e suporte técnico do Avery Digital Imaging Studio, da Biblioteca Digital da Universidade de Columbia e Divisão de Tecnologias Acadêmicas e da Divisão de Preservação e Conversão Digital.


CUL - Conteúdo Principal

Além do manuscrito do Livro VI, a Biblioteca Avery possui uma das maiores coleções das primeiras edições publicadas das obras de Serlio. Esses volumes variam desde as primeiras edições do Quarto Libro sob ordens arquitetônicas - o quarto livro na sequência, mas o primeiro a ser publicado em 1537 - até as primeiras traduções para o espanhol e o inglês da obra de Serlio, publicadas em 1573 e 1611, respectivamente. Os livros e seus tópicos são os seguintes:

Livros I e II - geometria e perspectiva (1545)
Livro III - monumentos romanos antigos (1540)
Livro IV - ordens arquitetônicas (1537)
Livro V - arquitetura da igreja (1547)
Livro VI - manuscrito sobre arquitetura doméstica
Livro VII - métodos para abordar as dificuldades no processo de projeto de lotes irregulares à restauração de casas (1575)
Livro extraordinario - portas (1551)
Trabalhos coletados - volumes compilados (1551-1663)

Todos os volumes, exceto um, foram digitalizados recentemente e estão disponíveis abaixo, clicando nas imagens da página de título. Todo o corpus também pode ser acessado por meio do Internet Archive. Basta digitar “Serlio and Columbia University” na caixa de pesquisa ou clicar no link aqui.


História

Os tratados arquitetônicos de Sebastiano Serlio exerceram imensa influência em toda a Europa no início do século XVI. Aos 65 anos, ele deixou sua Itália natal e foi para a França, onde o rei Francisco I o empregou como consultor na construção do palácio de Fontainebleau. Seu Architettura, publicado nessa época, foi a primeira obra renascentista sobre arquitetura a dedicar uma seção ao teatro. Também incorporou suas teorias sobre perspectiva, a arte de representar objetos tridimensionais em uma superfície plana. Seus muitos tratados incluíam ilustrações dos estágios trágicos, cômicos e satíricos, baseados nas ideias inovadoras de Vitruvius e rsquos a respeito do ponto de fuga. Os conjuntos de Serlio & rsquos são construídos em função deste ponto, para o qual convergem linhas paralelas traçadas em perspectiva. Ele também foi o primeiro a empregar o termo & ldquoscenografia & rdquo e a fazer uso extensivo do espaço cênico e da iluminação para dar a impressão de profundidade. Ele não se limitou ao cenário pintado, tão popular na época. Com suas inovações técnicas, Sebastiano Serlio teve um profundo impacto na arquitetura teatral de sua época.

  • O Livro de Arquitetura de Sebastiano Serlio (Nova York: B. Blum, 1970)
  • Sebastiano Serlio, arquiteto de la renaissance [Sebastiano Serlio, arquiteto] por Sabine Frommel, Gallimard (em francês).

Nicola Sabbatini (1574-1654)

O arquiteto e cenógrafo italiano Nicola Sabbatini projetou não apenas teatros e cenários, mas também um porto, nada menos! Seus designs de palco incorporaram uma infinidade de detalhes ornamentais. Com sua sofisticada maquinaria de palco, ele foi um dos primeiros a trazer um elemento de magia para o palco, um ar de mistério e ilusão. Suas inovações mecânicas e acústicas, por exemplo, permitiram-lhe representar o mar e suas tempestades no palco, com efeitos visuais gerando iluminação & mdasha operação altamente complexa para a época. Ele também descobriu um princípio ainda em uso hoje: o & oeligil du prince, a localização ideal no teatro que oferece a melhor perspectiva possível dos cenários. O assento em questão, muitas vezes cobiçado, fica normalmente localizado no meio da sétima fileira. As invenções de Nicola Sabbatini tiveram uma influência duradoura na iluminação, nas máquinas e na encenação.

  • Manual para construção de máquinas e cenas teatrais [Pratica di fabricar scene e macchine ne & lsquoteatri, 1638].
  • O palco do Renascimento: Documentos de Serlio, Sabattini e Furtenbach (Coral Gables, Flórida: University of Miami Press, 1958).

Ferdinando Galli-Bibiena (1657-1743)

Nascido em uma família italiana talentosa e ilustre de arquitetos e pintores, Ferdinando Galli-Bibiena inventou uma maneira inteiramente nova de criar perspectiva cênica. Ele literalmente redefiniu os fundamentos do design de palco com a introdução da perspectiva angular (cena por angolo) Em vez de um único ponto de fuga localizado na parte traseira de uma configuração, Bibiena usava dois ou mais pontos de fuga nas laterais. Enquanto os designers anteriores enfatizavam uma vista central, descoberta por Sebastiano Serlio, Bibiena caracteristicamente colocou edifícios, paredes, estátuas ou pátios no centro da imagem e relegou as vistas para os lados. Os desenhos de palco resultantes não confinavam ou demarcavam mais a visão do espectador: eram mais dinâmicos, mais próximos da realidade, empregando linhas assimétricas e infinitas sem precedentes. O público, assim, teve a impressão de estar compartilhando o espaço cênico com os personagens. Tendo influenciado fortemente o trabalho de seus contemporâneos, as inovações de Ferdinando Galli-Bibiena também tiveram um impacto nas gerações subsequentes, especialmente porque seus quatro filhos continuariam suas pesquisas cênicas.

  • L'architettura civile / Ferdinando Galli de Bibiena introdução de Diane M. Kelder (Nova York: B. Blom, 1971).

Adolphe Appia (1862-1928)

As teorias de Adolphe Appia transformaram as artes cênicas. O cenógrafo e diretor suíço deu especial importância ao texto e ao ator, que para ele eram indissociáveis ​​dos cenários e da iluminação. As suas numerosas publicações trataram da forma ideal de reunir os vários componentes de uma produção teatral, de criar uma harmonia de partes, semelhante à música, uma arte pela qual tinha um carinho particular. Ele criou vários planos de palco e iluminação que refletiam suas teorias revolucionárias de representação. Appia considerava o ator o elemento mais importante, a partir do qual todo drama acabaria se originando. Ele recusou o pano de fundo plano e pintado em favor de estruturas geométricas tridimensionais que poderiam ser alteradas na aparência pela variação da cor, intensidade e direção da iluminação. As estruturas sólidas, segundo Appia, serviriam para criar uma ligação entre o piso horizontal e o cenário vertical e potencializar os movimentos do ator. Suas construções precisamente calibradas não se destinavam a se conformar com a realidade, mas sim com o ponto de vista dos personagens. Mais próximo da teoria do que da prática, Appia, no entanto, esforçou-se durante toda a vida para aproveitar ao máximo as possibilidades do espaço teatral e do corpo do ator. Suas ideias serviram de modelo para vários diretores, incluindo Max Reinhardt e Jacques Copeau.

  • A Obra de Arte Viva Uma Teoria do Teatro, ed. Barnard Hewitt (Coral Gables, Flórida, University of Miami Press, 1960).
  • Adolphe Appia: ensaios, cenários e designs, ed. Richard C. Beacham (Ann Arbor, Mich .: UMI Research Press, 1989).
  • Adolphe Appia: Artista e Visionário do Teatro Moderno por Richard C. Beacham (Filadélfia: Harwood Academic Publishers, 1994).

Caspar Neher (1897-1962)

Um dos designers de palco mais influentes da Alemanha e do século 20, Caspar Neher criou cenários que romperam com o estilo realista do início dos anos 1920. A sua carreira é indissociável da do iconoclasta autor-realizador Bertolt Brecht, com quem colaborou em várias produções, incluindo Brecht & rsquos A ópera dos três vinténs (1928), hoje considerado sua obra-prima. O clima político na Alemanha entre 1933 e 1945 forçou Neher a criar designs que fossem menos provocativos aos olhos dos nazistas; portanto, não teve escolha a não ser abandonar os ideais políticos incorporados no teatro brechtiano. Durante os anos de guerra, seus designs de palco se tornaram menos contemporâneos e mais inspirados pelos códigos estéticos existentes. Após a guerra, ele retomou sua relação de colaboração com Brecht, a quem os nazistas haviam forçado ao exílio em 1933. Ele participou da aventura do Berliner Ensemble, a célebre empresa fundada por Brecht e Helene Weigel em 1949, cujas produções iriam reverberar em Europa. Após a morte de Brecht & rsquos em 1956, Neher trabalhou com outros diretores antes de retornar à ópera. Na história do palco, no entanto, os designs de Neher & rsquos estarão para sempre ligados ao revolucionário & quotépico teatro de Brecht & rsquos.

  • Brecht no teatro por Bertolt Brecht, ed. John Willett (Nova York: Hill e Wang, 1964).
  • Bertolt Brecht: Diários por Bertolt Brecht, ed. John Willett (Nova York: Routledge, 1993).
  • Caspar Neher: Brecht e rsquos Designer por John Willett (Londres: Methuen, 1986).

Jo Mielziner (1901-1976)

Jo Mielziner começou sua carreira como cenógrafo na Broadway em 1924. Cidadão americano nascido em Paris, ele projetou os cenários e a maior parte da iluminação para mais de duzentas produções, incluindo obras importantes como Eugene O'Neill & rsquos Interlúdio estranho e Tennessee Williams & rsquo Um Bonde Chamado Desejo. O influente designer introduziu vários dispositivos que se tornariam padrão na encenação teatral. Sua engenhosidade técnica incomum foi demonstrada na imensa ponte que ele criou para Elmer Rice & rsquos Streetscene, bem como a configuração de estrutura de esqueleto transparente de Arthur Miller & rsquos Morte de um Vendedor, que permitia que horários e lugares separados fossem exibidos simultaneamente. Os talentos de Mielziner e rsquos foram usados ​​na Segunda Guerra Mundial, quando trabalhava como especialista em camuflagem para a Força Aérea Americana. Nos últimos anos de sua vida, trabalhou como designer para um dos mais eminentes teatros de Nova York: o Lincoln Center Repertory Theatre. Com suas inovações técnicas e compreensão da função orgânica do ambiente total do palco, Jo Mielziner ajudou a desenvolver uma dramaturgia americana inteiramente nova.

By Jo Mielziner: Designing for the Theatre (New York: Atheneum, 1965)

Christian Bérard (1902-1949)

Christian Bérard collaborated on productions that would become milestones in the history of the stage. As a painter and decorator in French theatre, he believed that the setting existed above all to facilitate and enhance the dramatic action. Each of his stage designs reflected his desire to reduce sets to the bare minimum only those items necessary to the unfolding of the drama should be visible. A long-time collaborator of Jean Cocteau, Bérard created his first theatre sets for one of the author&rsquos most important works: La Voix humaine (1930). It was through this association that Bérard met actor-director Louis Jouvet, for whom he went on to design numerous sets. In all of these collaborations, the sets were subservient to the plays themselves. There was never anything gratuitous or superfluous or solely aesthetic in his designs each were inspired&mdashright up to their very colours&mdashby the texts themselves. Insofar as he regarded his sets as a machine that facilitated acting, Christian Bérard left his mark on the theory of 20th-century stage design.

Josef Svoboda (1920-2002)

A veritable sculptor of light, the Czech stage designer Josef Svoboda was a prominent figure in the field of theatrical image projection. Trained in carpentry and interior design, as well as stage design under Frantisek Tröster, a Czech designer of renown, Svoboda designed over six hundred sets for theatre, ballet and opera. Using the latest advances in mechanics, optics and electronics, he attempted to find a balance between artistic expressiveness and the mechanical functioning of the sets. His art forged an alliance with the sciences, resulting in techniques and devices that allowed the set designer to go beyond the limits of theatrical space. Svoboda&rsquos work in image projection is impressive, the most famous example of which is the Lanterna Magica created for Expo 67 in Montreal. After collaborating on numerous operas in the Czech Republic and designing over one hundred sets for his country&rsquos principal directors, he worked almost exclusively abroad since the early 1970s.

  • Josef Svoboda by Denis Bablet, La Cité/L&rsquoAge d&rsquohomme (in French).
  • Svoboda, Wagner: Josef Svoboda's scenography for Richard Wagner's operas (Scranton, Pa.: Harper & Row, 1983).

Ezio Frigerio (b. 1930)

Ezio Frigerio enjoyed a unique artistic relationship with theatre director Giorgio Strehler. The Italian set designer, costume designer and painter was studying in Milan when he met the man who would become his lifelong collaborator. In 1955, Frigerio became costume designer at Strehler&rsquos theatre, the Piccolo Teatro, where he collaborated on Carlo Goldoni&rsquos The Servant of Two Masters in 1956 two years later, he was appointed the theatre&rsquos resident designer. Frigerio regards the painted backdrop as the most important element in the scenic space. Known for the luminous beauty of his sets, he considers the stage design a work of art that allows the play to come alive. He refuses to see it as something ephemeral, feeling that it had its own autonomy, a life of its own that depends on neither the actor nor the director. Apart from a few creations for television and film, Ezio Frigerio has concentrated on theatre and opera, working not only with Strehler but with such French directors as Claude Régy and Roger Planchon. Over the span of a thirty-year career, Frigerio has created sets and costumes for nearly two hundred productions.

Richard Peduzzi (b. 1943)

Production: Odéon-Théâtre de l'Europe, 2003

Set design: Richard Peduzzi

Lighting: Dominique Bruguière.

Since 1969, Richard Peduzzi has created all of the set designs for director Patrice Chéreau. The French stage designer was working as a painter when he met Chéreau in 1967. The artistic relationship that developed was such that today we speak of the &ldquoChéreau-Peduzzi style.&rdquo Together, they have staged several works by an important contemporary French author: Bernard-Marie Koltès. Peduzzi was among the first to reclaim the central importance of stage design in theatrical productions. He considers that this aspect of a performance, so often neglected, is inseparable from the mise en scène. In reasserting its fundamental role, he is defining the essence of the set designer&rsquos art. His style is often characterized by the use of imposing vertical structures: skyscrapers, boulders, immense columns. These enormous masses on stage symbolize the dangers looming over the characters. Frequently mysterious and labyrinthine, Peduzzi&rsquos designs for theatre and opera represent the tortuous destinies of the characters. Both on stage and off, he believes that space can communicate as much as words.

  • Lorsque cinq ans seront passés by Patrice Chéreau, Ombres (in French).
  • Si tant est que l&rsquoopéra soit du théâtre by Patrice Chéreau, Ombres (in French).

Other artists who could well be added to this designers' pantheon include:

Giacomo Torelli, Yannis Kokkos, Léon Bask, Gilles Aillaud and André Acquart.


Sebastiano Serlio on Architecture, Volume 1

Exibir formato interno: papel
Price: $84.00

Sebastiano Serlio (1475-1554) was the most important architectural writer and theorist of the sixteenth century despite this, his writings have been virtually inaccessible until now. This translation of Serlio’s five-volume treatise—he died before publishing two further volumes—replaces the only other English version, one that was produced in 1611 from an inaccurate Dutch translation of the Italian original. Vaughan Hart and Peter Hicks, working directly from Serlio’s own corrected editions, here provide new access to his highly influential treatise. Serlio introduced northern Europe to the principles of classical design. When Christopher Wren was building St. Paul’s Cathedral and when John Wood designed the streets of Bath, for example, both architects had Serlio’s books on hand.

Serlio begins with the rules of geometry and perspective, and continues with a description of the ornamental splendor of the baths, temples, arches, and palaces of ancient Rome. He includes advice on how to incorporate classical features into interior designs. In an innovative discussion of Tuscan, Doric, Ionic, and Corinthian columns, to which he added Composite, Serlio established a canon of Five Orders that held authority for over a century. He illustrates the use of these orders in twelve temple designs.

"An excellent translation . . . [which] gives the English reader direct and fresh access to what is not only the most influential architectural treatise of the sixteenth century but one of the most innovative in the European tradition. . . . It is a pleasure to acknowledge a publication which has been well planned and carefully prepared. . . . The work does honour to its subject."—John Onians, Times Literary Supplement

"This edition, which includes excellent reproductions of Serlio’s plates, makes a long-awaited and very valuable addition to the published literature on Renaissance architecture, and on the theory and practice of Classical design."—Dan Cruickshank, Architects’ Journal

"This new edition will prove to be an indispensable tool for every English-speaking person concerned with Renaissance architecture."—David Hemsoll, Apollo Magazine

"What a pleasure to have this important text available in such a handsome and well-done publication. . . . This translation is sound and dependable, and appears with reproductions of the original illustrations keyed into the text to replicate as closely as possible the original Italian editions."—Escolha

"A treasure of a book."—Interior Design

"Not only has the text been reliably translated from the Italian original, but this text has been printed in an easily read modern typeface and inserted in the place of the Italian original on the plates which are reproduced from the last editions Serlio prepared for press before his death. For the first time teachers of sixteenth-century Italian art or architectural history can set Serlio’s treatise for study with the knowledge that the visual appearance of the original editions has been retained. . . . This is a handsome edition by Yale University Press of a very important early modern text, now available in reliable English at an affordable price. . . . I suspect that even most scholars of architecture will turn to this edition first, before heading for the Italian original."—Andrew Hopkins, Sixteenth Century Journal


Importance of your work

The relevance of Serlio lay in the influence it generated on other architects of the time and on those who were able to enjoy a copy of his publications. Serlio helped the artistic movement of the Romans to reach France, a country in which the Italian had a greater impact.

Serlio innovated with his treatises by presenting drawings that served to support the concepts he presented on its pages. The way in which he presented his writings was also innovative since he did not focus only on the practical approach or the theoretical part, but rather that he united both.

His treatises allowed the works of other artists to also be widely disseminated throughout Europe.

One of his most important contributions was that his simple way of presenting his notes served so that his treatises could be accessible to all people. It then allowed architecture to be an artistic movement closer to the communities.


Sebastiano Serlio - History

Academia.edu no longer supports Internet Explorer.

To browse Academia.edu and the wider internet faster and more securely, please take a few seconds to upgrade your browser.

La conferenza riguarderà in particolare i restauri, condotti dall'impresa Leonardo, di cui Rossan. more La conferenza riguarderà in particolare i restauri, condotti dall'impresa Leonardo, di cui Rossana Gabrielli è co-titolare, del Palazzo del Podestà di Bologna e della Chiesa di San Giuseppe dei Falegnami a Roma (dopo il crollo dell'agosto 2018).


Sebastiano Serlio

Italian architect, theorist, and painter. He is remembered primarily as the compiler of L'Architettura (published in instalments (1537–75) and collected in one volume in 1584). The first part to appear was actually Book IV, called Regole generale (1537), which outlined the later books, but, most significantly, codified and illustrated the five Roman Orders of architecture. L'Architettura was an enormously important treatise, not only in terms of Renaissance theory, but because it was a useful tome for architects, essentially because of its excellent illustrations and the fact that it was in a modern language. It was also a model for Palladio's Quattro Libri. Book III (1540) described and illustrated the ancient buildings of Roman antiquity as well as the architecture of Bramante and Raphael, but in the work as a whole Serlio covered a huge range of Classical details (including grotesques and rustication), discussed the meaning and emotive power of Classical architecture, and, in Livre extraordinaire (published in French in 1551), provided illustrations of doorways, many of which were richly inventive fantasies, and influenced Mannerism in Northern Europe.

No c.1514 he had been in Rome, where he worked under Peruzzi, his principal tutor, from whom he acquired many drawings used subsequently in L'Architettura. Following the Sack of Rome (1527) he settled in Venice, then a major publishing centre, and an obvious place to live for someone engaged on writing a treatise on architecture. While in Venice he may have designed a few buildings. It is known he participated in the competition to renovate the ‘basilica’, Vicenza (1539), won by Palladio, whose design was not unlike that submitted by Serlio, and featured motifs similar to the serliana, which is named after him.

He was called to Fontainebleau, France, in 1541, where he advised on the design of the considerable building works at the château and designed the Salle du Bal there (1541–8—completed by de L' Orme) in which the influence of Raphael is clear. His Grand Ferrare, the house for the Papal Legate to France at Fontainebleau (1541–8—mostly destroyed), was an important prototype of the hôtel (town-house) in France for the next century, while his château of Ancy-le-Franc in Burgundy (1541–50), with its corner towers and central court, shows the influence of Maiano. Serlio's work undoubtedly informed Palladio, while his books had a considerable effect on many generations of designers, initially through the editions of Pieter Coeck (1502–50) in Northern Europe, and through the 1611 English edition of Robert Peake (c. 1551–1619) (The Five Books of Architecture), which was a major source from the time of Inigo Jones to the flowering of the second Palladian Revival of Burlington and Campbell.

Art Bulletin, xxiv (1942), 55–91, 115–55S. Frommel (2004)E. Harris (1990)Heydenreich (1996)Lewis & Darley (1986)Onians (1988)Placzek (ed.) (1982)Rosenfeld (1978)Serlio (1584, 1611, 1663, 1964, 1996)Thoenes (ed.) (1989)Jane Turner (1996)


Digital Serlio Project

A sixteenth-century Italian architect and theoretician, Sebastiano Serlio was influential in canonizing the classical orders of architecture as the author of seven books on architecture, collectively known as Tutte l'opere d'architettura, and for his formulation of the first typology of Western domestic architecture.

The Digital Serlio Project presents Avery Architectural & Fine Arts Library's unparalleled holdings of the works of Serlio including his published works in multiple editions, and the manuscript for his unpublished masterwork, On Domestic Architecture. The Project seeks to facilitate active use of the collection in curricular and research activities and to promote new scholarship, bringing current research on his works into direct conversation with digital captures of the works themselves.

The Digital Serlio Project leverages contemporary methodologies – including visual, textual and material analysis using high resolution digital images – to re-examine Avery’s Serlio corpus and the questions it foments on domestic architecture of the 16th century and Serlio’s socio-economic model for early modern European urbanism.

Image: Small House for a King (Plate XXXIX), Sebastiano Serlio, VIII libro di Serlio: m.s. architettura, ca. 1550. Credit: Avery Architectural & Fine Arts Library, Columbia University

Financiamento

Funding for research and scholarship is provided by the Sidney J. Weinberg, Jr. Foundation and by the Samuel Freeman Charitable Trust.

Colaboração

An international team of scholars is coordinated by Francesco Benelli, while scholars and staff at the Avery Library direct the effort in collaboration with the Graduate School of Architecture, Planning and Preservation (GSAPP), and the Italian Academy, all at Columbia, as well as Avery Friends, the University of Bologna and the École nationale des Chartes. Digital photography and project support are provided by the Avery Digital Lab and (also within Columbia's Libraries) the Digital Program Division and the Preservation and Digital Conversion Division.


Assista o vídeo: Sebastiano Serlio - geometrical analysis 09 (Junho 2022).


Comentários:

  1. Gaizka

    É uma pena que agora não possa expressar - está muito ocupado. Mas vou voltar - vou necessariamente escrever que penso nessa pergunta.

  2. Hadon

    Prompt para mim, por favor, onde eu posso ler sobre isso?

  3. Apenimon

    Eu confirmo. Eu me inscrevo em todos os itens acima. Vamos discutir esta questão.

  4. Baldulf

    Que frase necessária... A ideia fenomenal, admirável



Escreve uma mensagem